vBulletin stats
Planeta Terra 2010: público oferece últimas energias ao Smashing Pumpkins | Rock 'n' Beats

Planeta Terra 2010: público oferece últimas energias ao Smashing Pumpkins

Postado por Breno Oliveira. Posted in Rock 'n' Beats

Tags: ,

Publicado em 23 novembro, 2010 - 1 Comentário

(Por Breno Oliveira)

Billy Corgan, único remanescente do Smashing Pumpkins original, foi a estrela maior do Sonora Main Stage (Foto: Lauro Capellari / Território da Música)

Doze anos: esse foi o tempo que os fãs precisaram esperar por um novo show do Smashing Pumpkins. A banda se apresentou no Brasil pela última vez em agosto de 1998, no Rio de Janeiro e em São Paulo, durante a turnê do álbum Adore.

Na época, a banda tocou uma longa sequência de músicas – então pouco conhecidas – do disco e só lá pela metade do show começaram a aparecer os clássicos. Seria ingenuidade esperar algo diferente no retorno da banda ao Brasil para encerrar as apresentações do Sonora Main Stage do Planeta Terra 2010.

O grupo abriu a apresentação com The Fellowship, onde Billy Corgan convocava o público com o refrão fácil de aprender “Are you with us or against us?”, selando a união que duraria os pouco mais de noventa minutos de apresentação e esgotaria com o que sobrava da energia dos fãs da banda.

Logo em seguida veio Lonely is the Name e depois o primeiro grande hit da noite, Today, clássica do Siamese Dream, mostrando para os fãs que a noite não seria só de músicas novas, como alguns temiam.

Daí pra frente Billy passou a alternar entre faixas de seu novo projeto Teagarden By Kaledyscope e outras mais antigas. A melodia simples e efetiva de Astral Planes, com sua letra que se repetia quase que como um mantra dava passagem a Ava Adore, que reanimava o público ávido por canções mais antigas da banda.

E foi na balada com um quê de Led Zeppelin, Song for a Son, que se pôde separar os fãs fieis da banda, que gritaram nos primeiros acordes da canção, do restante do público. A faixa é uma das melhores lançadas pelo “novo” Smashing Pumpkins e funciona muito bem ao vivo.

De volta aos anos 90, veio Bullet With Butterfly Wings, tocada de uma maneira acelerada, passando como um trator (ou uma montanha russa) pelo Sonora Main Stage.

Tarantula e o medley com Love Gun, do Kiss abriu momento mais “Rock’n'Roll” da noite, que ironicamente veio na música mais “desnecessária”. Após um solo de guitarra e o hino dos Estados Unidos (?) deu lugar ao riff da clássica Moby Dick, do Led Zeppelin e um solo de bateria de Mike Byrne, que durante toda a apresentação castigou seu instrumento e mostrou que é um substituto à altura de Jimmy Chamberlin. Na volta, mais distorções de Billy Corgan que culminaram com ele destruindo as cordas da guitarras no melhor estilo grunge do início da década de 90.

Depois do momento catártico, a banda tocou Spangled para baixar a poeira e daí pra frente só clássicos. Drown e Shame foram só o aquecimento para a sequência matadora que estava por vir: Cherub Rock e a inesperada Zero, que mostrou que ainda restavam milhares de pessoas no Playcenter com forças para pular. Stand Inside Your Love e Tonight encerraria o combo de hits e certamente fizeram muitos dos bravos sobreviventes de quase 12 horas de música ininterrupta marejarem os olhos e dizerem adeus aos últimos resquícios de voz enquanto gritavam a plenos pulmões: “We’ll make things right, we’ll feel it all tonight”.

Na volta para o bis, Billy contrariou os que aguentaram ficar até o final e encerrou unilateralmente o contrato firmado no início do show, tocando apenas Heavy Metal Machine (que já é comum nas voltas da banda), deixando seus fãs apenas na vontade de ouvir 1979 ou Disarm, que também costumam entrar nesse momento do setlist.

No fim, o sangue novo deu uma energia bem diferente às melodias do Smashing Pumpkins e a banda conseguiu manter o público atento sem deixar de tocar suas novas composições. Mas, mesmo com ótimas performances de Jeff Schroeder, Nicole Fiorentino e Mike Byrne, esse foi um show de Billy Corgan e só houve espaço para uma estrela no palco.

Sobre Breno Oliveira

Editor-chefe, Social Media, "Produtor", "DJ", Ex-BBB e faço uns bicos de pedreiro. breno@rocknbeats.com.br

Veja outros artigos de Breno Oliveira

Comente usando o Facebook!

1 Comentário

Existem atualmente 1 Comentário no Planeta Terra 2010: público oferece últimas energias ao Smashing Pumpkins. Deixe seu comentário

  1. [...] This post was mentioned on Twitter by Portal MTV, Byte Que Eu Gosto!, Breno Oliveira, Rock 'n' Beats, Jackson Guedes Moura and others. Jackson Guedes Moura said: Smashing Pumpkins no Planeta Terra: The Fellowship é uma das melhores das músicas novas http://bit.ly/fXsEns [...]

  2. SP era um dos shows que mais esperava, mas já estava muuuuuuito cansada e não pude aproveitar nem fiquei até o final…nem vi Tinight Tonight :(

    Não esperava muito mesmo (coisa de fã velha + banda velha haha), mas mesmo assim é um dos shows do meu top 5 do Planeta Terra. Mas fiquei feliz por cantar as musicas novas e antigas com o Billy, aquele careca LINDO! hahaha!

Deixe seu comentário

RocknBeats