vBulletin stats
Resenha: The Killers e seu show atômico no Lollapalooza 2013 | Rock 'n' Beats

Resenha: The Killers e seu show atômico no Lollapalooza 2013

Postado por Soraia Alves. Posted in Destaque, Especial Lollapalooza Brasil, Resenhas

Tags: , , , , , ,

Publicado em 30 março, 2013 - 1 Comentário

The Killers Lollapalooza Brasil 2013

Foto: Cambria Harkey/ Divulgação Lollapalooza Brasil

por Soraia Alves

Quando Brandon Flowers subiu ao palco, ele não disse “hi” ou “olá”. Brandon mandou de cara “I’m coming out of my cage, and I’ve been doing just fine…”. O vocalista do The Killers não precisava começar o show, que encerrou o primeiro dia de apresentações da segunda edição brasileira do Lollapalooza, com o maior hit da sua banda. Ali, a maioria das cerca de 50 mil pessoas presentes no evento estavam interessadas em seu show. Mas ao escolher Mr. Brightside como faixa de abertura, ele proporcionou um raro momento de êxtase coletivo que geralmente acompanhamos no final dos shows, quando as bandas guardam suas músicas mais “populares” para o grand finale.

Acontece que o The Killers tem várias dessas músicas que o público espera ouvir ao vivo: Smile Like You Mean It, Human, Somebody Told Me, When You Were Young… e todas foram tão bem executadas quanto em seus respectivos discos, e cantadas por um Brandon Flowers que não deixou de sorrir até o fim do show. O vocalista de estatura média parecia pequeno no meio do palco Cidade Jardim, mas tanto sua desenvoltura (que incluiu conversar na medida com o público, falar português, mostrar seus sapatos, ajoelhar…) quanto sua potência vocal o fizeram dominar por completo o espaço.

A postura, seja do frontman carismático, dos companheiros Dave Keuning e Mark Stoermer mais introspectivos, ou do empolgado baterista Ronnie Vannucci deixa a sensação de que o Killers gosta muito do que faz, gosta da carreira que construiu e não encara os hits do passado como uma “obrigação” para agradar aos fãs. Essa satisfação da banda é inevitavelmente passada para o público, que dificilmente consegue chegar ao fim do show sem se empolgar com pelo menos um dos sucessos apresentados.

Tecnicamente, tudo ocorreu sem grandes problemas para eles, com exceção de alguns momentos em que os instrumentos estavam um pouco mais baixos que o vocal, mas que não chagaram a atrapalhar a performance. A intenção da banda com a turnê do disco Battle Born continua a mesma de anteriormente: fazer shows grandiosos. Brandon Flowers não é mais aquele cara de roupas extravagantes e maquiagem nos olhos, mas ainda gosta de “enfeitar” seus shows visualmente. Assim, a chuva de papéis picados pode parecer coisa do Coldplay, o jato de fogos de artifício a cara do Kiss, mas a intenção (como sempre é para quem usa de tais técnicas) é deixar o público impressionado. É fórmula batida, sim, e não são fatores que deixam um show melhor. E nem pior. Os longos “canto daqui e vocês repetem daí” no meio de algumas músicas e que deixam a eterna sensação de enrolação para preencher o tempo são detalhes muito piores. Brandon também utilizou deles, e realmente poderia o ter feito menos.

Usar poucas faixas de seu último disco (das 16 tocadas, apenas 04 são de Battle Born) mostra que o Killers sabe que o potencial de hits do novo trabalho é o menor de sua carreira, e não “empurrar” boa parte desse material para o público em um show de festival é bem inteligente. Miss Atomic Bomb e Runaways, porém, mostraram que já caíram no gosto dos fãs e foram acompanhadas pelo coro do público. Coro esse que foi, obviamente, bem maior no final grandioso com Jenny Was a Friend of MineWhen You Were Young.

Talvez aquele pensamento clichê de que um bom profissional é aquele que faz o que gosta caiba inteiramente ao The Killers. Eles gostam muito do que fazem, fazem bem e encantam o público. E quem não gosta de sair encantado de um show com a sensação de que ele foi o melhor? Desse primeiro dia de Lollapalooza 2013, o The Killers foi mesmo o melhor.

Setlist
Mr. Brightside
Spaceman
The Way It Was
Smile Like You Mean It
Miss Atomic Bomb
Human
Somebody Told Me
For Reasons Unknown
From Here on Out
A Dustland Fairytale
Read my Mind
Runaways
All These Things that I’ve Done
This Is Your Life
Jenny Was a Friend of Mine
When You Were Young

Sobre Soraia Alves

Journalism, fashion and Rock'n'Roll. @Soalves

Veja outros artigos de Soraia Alves

Comente usando o Facebook!

1 Comentário

Existem atualmente 1 Comentário no Resenha: The Killers e seu show atômico no Lollapalooza 2013. Deixe seu comentário

  1. porra foi de mais o show de the killers

Deixe seu comentário

RocknBeats